Sunday, March 11, 2007

Essa última semana não foi das mais simples. Desconfio de estar com o tal “distúrbio de alteração de humor” (um dia deprimida, outro eufórica), o que por si só já é bastante estranho. Mas pode ser também só o estresse... Hoje tive uma prova importante, relacionada ao meu trabalho, e há um mês só tenho estudado. Acho que “pensar” é, ao mesmo tempo, minha melhor qualidade e meu pior defeito. Penso em um monte de coisas, mais do que deveria, e na hora errada também. Várias preocupações, poucas horas de sono, “necessidade” de Internet para aliviar a tensão... Enfim, foi brabo. Mas, acho que agora está passando... O corpo sente o cansaço, mas a mente está mais aliviada.

Isso tudo foi pra justificar a minha “intempestividade” em postar um texto sobre as mulheres, aproveitando o ensejo do “Dia Internacional da Mulher”, rsrs...

Cara-de-pau? Ahh... só um pouquinho...
:-)



Coisas de Mulher...


A primeira coisa que devo dizer ao tentar definir as mulheres, é que elas não gostam de ser definidas. Gostam de ser tratadas com igualdade, mas ao mesmo tempo, sentem a necessidade de que a vejam como uma pessoa única, especial, diferente das outras. Tá achando complicado? Isso é só o começo...

Há teorias que dizem que homens e mulheres se diferenciam apenas pelo modo como são criados, e pelas experiências que vivem. Entretanto, ninguém pode negar que, em todas as sociedades, essas diferenças são bem marcantes. Na nossa, por exemplo. As meninas, desde pequenininhas, já tem um jeitinho diferente dos meninos. Geralmente são mais meigas e manhosas, e não raramente usam o seu “charme de menininha” para conseguirem o que querem.

Mulheres são sonhadoras. Desde pequenas, sonham com a maternidade, brincando com suas bonecas... sonham em ter um grande amor, sonham em ser grandes profissionais, sonham em ter uma casa independente, em montar um negócio próprio, em direcionar para o bem todos os filhos, em serem eternamente lindas. Criam imensas expectativas. Ficam tristes ao vê-las se desmanchar. Mas apesar de tudo, sonham tudo de novo. Sonham diferente, criam um caminho alternativo. E prosseguem.

A mulher é resistente à dor. As dores grandes, dores de partos, dores de guerras, dores de catástrofes, dores de grandes decepções. Nada derruba a mulher. Ela sobrevive.

A mulher tem medo do imprevisível, do incerto, medo daquilo que ela não pode visualizar. Ela tem medo de mergulhar de cabeça e encontrar as pedras. Teme o abandono, o desprezo, a solidão. Tem medo de ser substituída, esquecida, prejulgada, condenada e banida, tantas foram as vezes em que elas já passaram por isso. Por isso, ela valoriza a segurança.

Mulheres lutam. Lutaram por toda a história, em busca de seus ideais – fosse a favor da pátria, fosse para proteger seus companheiros, fosse para defender os seus direitos, lá estava a mulher... Elas continuam lutando, dia-a-dia, para sustentar os seus filhos, para conquistar sua independência, para viverem plenamente... entretanto, elas sofrem muitas exigências para que seu esforço seja valorizado.

A mulher lida diariamente com os padrões de perfeição. A mulher ideal tem que ser: feminina, cheirosa, bem arrumada (de preferência, deslumbrante), uma profissional competente, organizada, tem que saber cuidar da casa, cozinhar bem, ser paciente com as crianças, com seus pais, tem que ser distinta e discreta, mas também tem que saber ser ousada e esperta, tem que ter bom senso e paciência, tem que ter ciúme, mas não pode externalizar, tem que ter ouvido, mas nunca falar. Tem que ver o seu marido babar por Juliana Paes, Sheila Carvalho, Danielle Winitz e Ana Paula Arósio, saber que nunca vai ser igual a elas, mas não poder se sentir infeliz por isso. Pior, saber que existem outras mulheres provocantes soltas por aí (concorrência é um desgaste), e querer acreditar “por tudo o que é mais sagrado” que “ele” só tem olhos pra ela. Tem que encarar TPM, menstruação, menopausa, gravidez (e enjôos, e modificações no corpo...), e estar sempre de bom humor. E, pra finalizar, depois de um dia exaustivo de duplas e triplas jornadas... ser uma mulher linda e imbatível para continuar conquistando o seu amado a cada dia (sim, do contrário, ele a deixa na mão – belos companheiros), e que não vai se preocupar nem um pouco em estar arrumadinho pra ela. Mas a mulher, ahhh... ela "ama incondicionalmente".

Nem sempre a mulher é isso tudo. Será que as mulheres merecem ser impostas a um modelo tão exigente e quase inconciliável? Será que não podem ser amadas do jeito que são, assim como os homens?

Mulher tem medo de envelhecer. Tem medo das desvantagens da idade.
Mas, a passagem do tempo é inevitável. Então, quando a idade chega, ela acalenta os seus sonhos como lembranças dos bons tempos que ela viveu. Muitos sonhos interrompidos...

As mulheres de hoje querem acalentar no futuro lembranças de sonhos realizados, de momentos bem vividos, de adrenalina, surpresas e suspiros, de desafios alcançados, de beijos roubados, de grandes parcerias, de amizades, família unida e de muita paz. Devemos isso às nossas antecessoras que tanto lutaram para que tenhamos a dignidade e liberdade que temos agora.

Podemos tudo o que queremos.
O que nos diferencia é não querermos tudo o que pudemos
.
A responsabilidade é ainda a nossa maior aliada.

Mulheres...
Estamos só na metade do caminho...
Ainda temos muito a conquistar.
E vamos!


“Sou fera, sou bicho,
Sou anjo e sou mulher,
Sou minha mãe, minha filha,
Minha irmã, minha menina

Mas sou minha, só minha
E não de quem quiser...”

8 Comments:

Blogger Bel said...

Como ficou difícil comentar esse post!! Vc definiu o indefinível, explicou o inexplicável. E, embora o sono não me deixe pensar direito, acho que vc tem razão em (quase) tudo.

Especialmente no textinho final!!! ;)

Beijooooo!!!

9:36 PM  
Blogger Freckles said...

Esse post ficou lindo...
Parabéns!

7:44 PM  
Anonymous Ju said...

Olá Amanda...Quem não tiver seus dias com altos e baixos que atire a primeira pedra!rs
Gostei mt do teu blog...Parabéns! :*

11:27 AM  
Blogger Lobisomem Diurno said...

Talvez sejamos nós homens donos de uma certa tolice em desejar uma mulher próxima da perfeição...

Como disse uma amigar minha, nós homens, no fim, almejamos alguém como nossas mães...

Será mesmo verdade?

Sei que não há essa chamada "perfeição" mas ainda acredito que existe alguém por aí com um "encaixe perfeito" no meu coração; em que as minhas qualidades (e defeitos) combinarão perfeitamente com as dela...

Pode ser um desejo ilusório de um pisciano sonhador mas fazer o que?

9:18 AM  
Anonymous Blogue da Magui said...

Como vai ? melhorou nos ânimos? Espero que sim porque seu texto é criativo e cheio de inteligência.Merecemos que vc não desista!

5:50 AM  
Blogger Roberta Siqueira said...

Voltei Amanda
Tem coisa nova no meu blog tá?!
E quanto ao texto, maravilhoso como sempre.
Assim somos nós mulheres.
Bjs

7:06 AM  
Blogger Eu said...

Bahhh.... rsss
Aviso aos navegantes: voltei a blogar!!!

Lindinha. Tô de volta. Adorei teu último post!

beijo

Lu...

10:26 AM  
Anonymous soldadonofront said...

Assim caminha a humanidade. Cada um tem seu front.

5:03 AM  

Post a Comment

<< Home

|